José Barrias

Portugal, 1944

José Barrias nasceu em 1944 em Lisboa, e de 1950 a 1967 viveu no Porto onde frequentou por um breve período a Escola de Belas-Artes.. Entre 1967 e 1968 viveu em Paris, fixando-se definitivamente em Milão em 1968, onde atualmente vive e trabalha. A sua complexa obra organiza-se por núcleos temáticos abertos, que se relacionam entre si como capítulos de um livro que se vai revelando por imagens, que são as obras do artista.

Trabalhando com diversos meios – pintura, desenho, escultura, objetos encontrados, fotografia, texto escrito, filme – estes são muitas vezes conjugados numa mesma obra, sobretudo em forma de instalações que ocupam e se ajustam ao espaço de exposição. Apesar da variedade da sua obra, a maior parte dos seus trabalhos tem em comum o facto de se desenvolverem a partir de um texto, de uma história ou de um acontecimento na vida do artista, explorando os conceitos de vestígio e de memória.

Expondo individualmente pela primeira vez em 1972, representou Portugal nas Bienais de Paris (em 1980) e de Veneza (em 1984), tendo participado em várias exposições individuais e coletivas sobretudo em Portugal e em Itália. Destaca-se a exposição antológica “Etc…”, realizada pelo Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, 1996, que deu a conhecer a globalidade da obra do artista, até então mostrada em Portugal apenas de modo fragmentário. Nesse mesmo ano foi-lhe atribuído o prémio AICA. Mais recentemente, destacam-se as exposições “José Barrias: In Itinere”, Museu de Serralves, Porto, 2011, e “José Barrias: Correspondências”, galeria História e Arte, Bragança, 2014.

 

O infinito - José Barrias - VII Simpósio 2004

 

O infinito - José Barrias - VII Simpósio 2004

 

O infinito - José Barrias - VII Simpósio 2004

 

O infinito - José Barrias - VII Simpósio 2004

 

O infinito - José Barrias - VII Simpósio 2004